• Tony Boita

DIGO – Festival Internacional de Cinema e Diversidade Sexual e de Gênero de Goiás


Em 2018 a cidade de Goiânia recebeu mais uma edição do DIGO. Ao todo já foram três edições que apresentaram a produção cinematográfica voltada para a diversidade sexual e de gênero. Trata-se de um evento colaborativo, gratuito e que fortalece a cultura, a memória e a identidade da comunidade LGBT brasileira e goianiense.

Segundo a organização, o DIGO é um festival de cinema competitivo pioneiro no centro-oeste brasileiro​ porque articula ​produções ​audiovisua​is​, educação e tecnologias com o intuito de ampliar o universo da expressão e da percepção estética da diversidade ​em ​Goiás,​ no ​Brasil e​ no​ mundo​. O Festival​ tem por objetivo estimular e promover a​ ​conscientização do público​ sobre ​o respeito integral aos direitos​ ​humanos e a inclusão social.​ ​​Por fazer parte da Red DIVERCILAC – Diversidad em el Cine Lationamericano y Caribeño – rede de festivais da América Latina e do Caribe​, o festival possibilita aos​ inscritos​, a​ participação na programação em festivais internacionais em regime de network, além de​ ​mostras especiais itinerantes. Em sua terceira edição o projeto contou com apoio institucional da Prefeitura de Goiânia através da Lei Municipal de Incentivo a Cultura de Goiânia, Ministério Público do Trabalho de Goiás, Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas de Goiânia e Cinemas Lumiére.

O III DIGO contou com uma programação com mais de 25 atividades culturais distribuídas em sete dias. Além das mostras competitivas e paralelas, o público foi convidado a participar das mesas temáticas, oficinas e palestras sobre direitos LGBT+, mercado de trabalho, turismo LGBT+, segurança pública, LGBTfobia, políticas públicas de saúde e muito mais. Além disso, foram apresentadas três peças de teatro e cinco performances artísticas em várias sessões. De acordo com o curador da edição, Cristiano Sousa, o DIGO é um festival rico pois vai além da exibição de filmes. “O DIGO se tornou um festival de artes integradas que tem o intuito de discutir assuntos importantes para fomentar o pensar crítico e estimular ações relacionadas à luta contra o preconceito em Goiás”, explica.

O evento premiou os melhores curtas e longas-metragens com o Troféu DIGO nas categorias: curtas goianos, nacionais e internacionais, melhor direção, melhor roteiro e melhor interpretação. O público também elegeu seus curta-metragens nacionais e internacionais preferidos. Dentre os prêmios especiais, estão o Prêmio Christian Petermann (Menção Honrosa) para Melhor Filme e DIGO Amigo. Também rolou premiação para a melhor performance artística.

Entre os curtas internacionais o grande vencedor foi “No More We” da Suécia que levou os premios de melhor roteiro, melhor atuação e melhor filme. A melhor direção ficou com Denisse Quintero do México com o filme "El tigre y la flor". A votação do público surpreendeu, ganhando o filme "Flesh" de Tomas Repaux da França.

Na categoria curta metragens nacionais o curta “No Fim de Mundo” recebeu dois prêmios, melhor atuação para Silvero Pereira e melhor direção para Victor Ciriaco. Assim como o anterior, o curta “Primavera” ganhou dois prêmios o de melhor roteiro e melhor curta ( Fernanda de Débora Zanatta e Estevan de la Fuente). Já o público premiou o curta "Majur" de Rafael Irineu. A mostra Suzy Capó premiou o curta "Transvivo" de Tati Franklin.

Na categoria Longas, o filme “Ursinho” foi o consagrado da noite de premiação. O longa ganhou 4 prêmios, melhor direção , melhor atuação, melhor roteiro e melhor filme. Já o melhor documentário foi para "Luana Muniz" de Leonardo Menezes e Rian Cordova.

Receberam também o Prêmio Digo 2018, concedido pelo Juri com destaque especial o filme "A Filosofia na Alcova". Já o troféu Christian Petermann foi para "Escape" de Vinicius Sassine, Mariana Paschoal, Julien Merienne e Maria Chatzi.

Ao que parece a escolha para os melhores filmes goianos foi acirrada. O curta “Netuno” recebeu dois prêmios, de melhor direção, atuação e melhor filme. Enquanto “Só penso em...” ganhou melhor roteiro e menção especial do juri. Foi escolhido pelo público o curta “Tendência”. Houve ainda uma linda homenagem para Filemon Pereira Miguel, Secretário Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas.

Confira a lista completa das produções premiadas:

Curtas Internacionais

Melhor Direção

El tigre y la flor de Denisse Quintero, México

Melhor Roteiro

No More We de David Fardmar, Suécia

Melhor Atuação: ELGERD (Adrian) e JONATHAN ANDERSSON (Hampus).

No More We, de David Fardmar, Suécia

Melhor Filme:

No More We de David Fardmar de Suécia

Escolha do Público Flesh de Tomas Repaux, França

Curtas Metragens:

Melhor Atuação:

Silvero Pereira de No Fim de Mundo, de Victor Ciriaco Rio Grande do Norte

Melhor Direção Victor Ciriano de No Fim de Mundo, Rio Grande do Norte

Melhor Roteiro:

Primavera de Fernanda de Débora Zanatta e Estevan de la Fuente, Curitiba.

Escolha do Público:

Majur de Rafael Irineu, Mato Grosso

Melhor Curta Primavera de Fernanda de Débora Zanatta e Estevan de la Fuente, Curitiba.

MOSTRA SUZY CAPÓ

Transvivo de Tati Franklin, Espírito Santo

Longas:

Melhor Fotografia

“O que seria deste mundo sem paixão” de Luis Carlos Lacerda

Melhor Direção

Ursinho de Stéphane Olijynk

Melhor Atuação Digāo Ribeiro de Ursinho de Stéphane Olijynk,

Melhor Roteiro Ursinho de Stéphane Olijynk

Melhor Documentário

Luana Muniz de Leonardo Menezes e Rian Cordova

Melhor Filme

Ursinho de Stéphane Olijynk

Prêmio DIGO 2018 – concedido pelo juri como reconhecimento de filme com destaque especial.

A Filosofia na Alcova de Ivam Cabral e Rodolfo Garcia Vasquez

Troféu Christian Petermann

Escape de Vinicius Sassine, Mariana Paschoal, Julien Merienne e Maria Chatzi.

CURTAS GOIANOS

Melhor Direção:

Netuno de Daniel Nolasco

Melhor Roteiro: Só penso em… de Emiliano Freitas e Edinardo Lucas

Melhor Atuação:

Norval Berbari de Netuno

Melhor Curta Goiano

Netuno de Daniel Nolasco

Menção especial Só penso em.. de Emiliano Freitas e Edinardo Lucas

Curta Goiano Escolhido pelo Público:

Tendência de Jonathan Costa

Troféu DIGO Amigo (homenagem) –

Filemon Pereira Miguel Secretário Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas

Confira as fotos do evento:

Fonte e créditos das imagens: http://digofestival.com.br

#FESTIVALINTERNACIONALDECINEMADADIVERSIDADESE #3ºDIGO #DIGO #IIIDIGO #DiversidadeSexual #Gênero #Goiás #MemóriaLGBT #Cinema

0 visualização

© 2016 REVISTA MEMÓRIA LGBTIQ+

Brasil

Entre em contato: contato@memorialgbt.org